CONTAto

Rua Otávio Carneiro, n° 100, 6° andar - Icaraí 24230-191 - Niterói/RJ 

(Ao lado da loja Leader, com entrada pela Tavares de Macedo)

 

CNPJ: 39242458/0001 - 92

secretaria@yspanus.com.br

rhyspanus@yspanus.com.br

financeiro@yspanus.com.br

(21) 2714 - 1877 | (21) 98552 - 8008

© 2019 Yspanus Languages. Todos os direitos reservados.

  • facebook-yspanus
  • instagram-yspanus
  • linkedin-yspanus
  • whatsapp

Desenvolvido por: Giovana Trulio & Thaís Rodrigues

Dicas para quem vai morar no exterior

March 3, 2017

Qualquer um que tem o sonho e a determinação de ir viver em outro país deve estar consciente de um fato: esta não é uma decisão que deva ser tomada de uma hora para outra. Pelo contrário, é preciso empregar um bom tempo para juntar todas as informações necessárias a respeito do país para onde se quer emigrar. O mais aconselhável é que se faça antes uma visita de ao menos duas semanas ao país de interesse para poder ter um mínimo conhecimento não só do país, mas também de seu povo e cultura. Pois muitas vezes, a experiência que está sendo muito positiva para parentes, amigos e conhecidos em determinado país, pode não corresponder às suas expectativas. Além disso, também é de extrema importância estar muito bem informado sobre as condições climáticas do local e refletir profundamente se você está disposto a adaptar-se a elas.

 

 

Dentre as informações mais importantes que você precisa saber para emigrar para outro país, destacam-se:

               

            1. EMISSÃO DE VISTOS

 

Infelizmente, a maioria dos países - com raríssimas exceções - não facilita muito os processos de imigração, salvo os casos em que haja a procura de profissionais qualificados em áreas específicas, ou quando o imigrante já chega ao país-destino com um contrato de trabalho assinado. Muitas tentativas de imigração terminam justamente quando chega a hora de tirar o visto de entrada. Alguns países facilitam a imigração para cidadãos estrangeiros que tenham interesse em investir determinado capital em seu território. No entanto, todas essas prerrogativas são específicas para cada país e devem ser consultadas junto às embaixadas ou aos consulados do país em questão.

 

A regra também vale para aqueles que pretendem estudar no exterior. É muito importante estar bem informado sobre o processo de solicitação de visto. Muitos países só emitem vistos de qualquer natureza fora de seu território nacional, ou, até mesmo, somente em representação diplomática dentro do país onde o solicitante reside.

 USA

 

Os Estados Unidos têm, nos últimos anos, intensificado suas restrições quanto à concessão de vistos para estrangeiros, especialmente para aqueles que pretendem emigrar ou trabalhar em território norte-americano.

 

Existem várias categorias de visto, e os americanos são bastante criteriosos na análise dos pedidos. Para todos os tipos de visto americano valem basicamente as seguintes condições:

  • O objetivo da viagem tem que estar de acordo com a categoria do visto que está sendo requerido. Ou seja, se você estiver requerendo um visto de trabalho, é necessário comprovar que o objetivo primário de sua viagem aos Estados Unidos é o de ocupar um posto de trabalho.

  • É obrigatório que se tenha a intenção de voltar ao país de origem após o fim da vigência do visto.

  • É preciso comprovar que dispõe dos meios financeiros suficientes. As autoridades americanas exigem que os candidatos comprovem que têm condições de arcar com as despesas de sua viagem.

Existem, ainda, várias outras exigências específicas para cada caso (intercâmbio, missão religiosa, atividade artística, etc.) que devem ser atendidas para a obtenção de um visto americano. As embaixadas e consulados podem fornecer informações detalhadas e completas.

 

            2. À PROCURA DE UM IMÓVEL

 

USA

 

O mercado de aluguel de imóveis nos Estados Unidos está majoritariamente nas mãos de corretores. Sendo assim, deve-se contar com o pagamento de comissão, cujo valor varia entre um e dois meses de aluguel.

 

Dependendo da localização, o aluguel nos Estados Unidos pode ser extremamente alto. É claro que também vai depender do tamanho do imóvel, mas mesmo assim tome cuidado porque nem sempre tamanho significa qualidade. Nos prédios com muitos apartamentos, por exemplo, são comuns as construções com acústica mal protegida, onde um morador facilmente ouve o que o vizinho do apartamento do lado está conversando em sua sala de estar.

 

Deve-se, além disso, estar sempre muito bem informado a respeito dos custos adicionais que recaem sobre o imóvel alugado. Algumas destas despesas são, por exemplo:

  • Energia elétrica - De 50 a 100 dólares por mês, dependendo do tamanho do imóvel. Se o aquecimento for elétrico, a conta pode chegar a até 150 dólares.

  • Gás - Não se usa gás em todos os imóveis, mas se o fogão for a gás, os custos podem variar entre 10 e 15 dólares por mês, dependendo de quanto você costuma cozinhar. Porém, se o imóvel for aquecido a gás, os gastos podem variar entre 50 e 100 dólares.

  • Internet - A conexão custa, em média, entre 45 e 50 dólares por mês.

  • Custos com celular/telefone - A maioria das operadoras têm planos de cerca de 50 dólares por mês, mas se você for o tipo que navega bastante, a conta pode chegar a até 100 dólares por mês.

  • Água, esgoto e lixo: Geralmente, estas taxas já vêm embutidas no valor do aluguel.

Resumindo, quando se pretende morar num bom bairro e com o mínimo de conforto numa cidade grande dos Estados Unidos, deve-se contar com no mínimo entre 1000 e 1500 dólares para cobrir todas as despesas.

 

INGLATERRA

 

Imagine que você tenha tomado a decisão de morar na Inglaterra. Como em qualquer outro lugar, uma das maiores tarefas é encontrar moradia. Abaixo listamos algumas informações e dicas que podem ajudar na hora de escolher e encontrar um bom lugar para morar:


A quem se dirigir na hora de encontrar um apartamento? 98% dos apartamentos na Inglaterra são alugados por meio de agências imobiliárias. Portanto, procure uma delas para encontrar ajuda profissional. Diferentemente dos Estados Unidos, na Inglaterra, desde 2014, são os proprietários que têm que pagar a comissão da agência mediadora e não mais o inquilino. Mesmo assim, pode ser que, ao final do contrato, a agência imobiliária cobre de você alguma taxa administrativa. Procure informar-se detalhadamente a respeito antes de firmar o contrato.

 

Além do aluguel, devem-se levar em conta as taxas e os custos adicionais que se tem a cada mês. Alguns exemplos são:

  • Council tax: Corresponde ao IPTU brasileiro, cujo valor, como no Brasil, depende de fatores como o tamanho do imóvel, sua localização, etc. O negociador saberá informar sobre o valor do imposto.

  • Taxas de gás, água e eletricidade: São pagas pelo inquilino e dependem do consumo. Procure informar-se sobre os valores aproximados para ter uma ideia.

Os quartos mobiliados são a melhor opção para estudantes que dispõem de pouca renda. E principalmente porque você não precisa comprar os móveis e nem ter que vendê-los, se decidir deixar a cidade ou o país. E mais, a diferença de preço entre um quarto sem mobília e um quarto mobiliado não é grande.

 

FRANÇA

 

Na França, também é comum utilizar os serviços de uma agência imobiliária para encontrar um imóvel de aluguel. A vantagem é que você tem a garantia de que o imóvel passou por reformas e está isento de defeitos para ser alugado. Por outro lado, as taxas cobradas pelas agências costumam ser altas, principalmente pelas maiores, que geralmente têm escritórios em todo território nacional.

 

Quanto às exigências legais, o inquilino tem que, antes de tudo, possuir uma conta bancária na França. Além disso, também é exigido que o inquilino apresente um contrato de trabalho informando sobre seus rendimentos mensais. Este contrato pode ser temporário, mas, em geral, vale a seguinte regra: o inquilino tem que ter um rendimento no mínimo três vezes maior que o valor do aluguel.

 

Outra exigência bastante comum na França é a apresentação de um fiador, o que acaba representando um grande problema para os estrangeiros, já que o fiador tem que ter residência fixa na França e ter contribuído com os impostos nacionais no ano anterior à vigência do contrato. Várias agências também impõem exigências aos fiadores. Por exemplo, se ele tem um imóvel próprio, deve apresentar uma renda três vezes maior do que o valor do aluguel para o qual quer ser fiador. Quando ele não tem nenhum imóvel próprio, sua renda deve ser, no mínimo, quatro vezes maior do que o valor do aluguel.

 

Negociar diretamente com o proprietário pode ser uma boa alternativa para fugir das altas taxas. Em geral, exigirão depósitos antecipados, que são estipulados segundo suas próprias determinações. Existem seguradoras que oferecem seguros que são aceitos por muitos proprietários em lugar do comprovante de renda e do fiador. No entanto, os altos valores do seguro nem sempre contribuem para solucionar a questão.

 

O valor dos aluguéis na França varia muito de cidade para cidade, sendo Paris, naturalmente, a cidade com os aluguéis mais altos (a maioria das pessoas em Paris com renda razoável procura apartamentos nos arredores da cidade, onde os valores são mais baixos). Numa cidade como Toulouse, por exemplo, o aluguel de um apartamento de aproximadamente 52 m², com dois quartos, vaga para estacionar e próximo ao centro, custa em torno de 640 euros por mês, com taxas que variam entre 35 e 60 euros.

 

ALEMANHA

 

Atualmente, o meio mais utilizado para encontrar um imóvel para alugar na Alemanha é, inegavelmente, a internet. Por lá você pode estabelecer contato não só com as agências imobiliárias e seus corretores, mas também diretamente com os proprietários dos imóveis. Na Alemanha, assim como em outros países da Europa, também se faz necessário cumprir várias exigências formais para que se possa alugar um imóvel. Algumas delas são:

  • Apreciação do seu comprovante de renda;

  • Apreciação do seu contrato de trabalho;

  • Para cidadãos não alemães, é normal que o proprietário queira verificar no seu passaporte se você está ou não em situação legal no país;

  • Em geral, pede-se um depósito de dois meses de aluguel, mas o proprietário, se for de sua vontade, também tem o direito de exigir depósitos maiores.

Uma boa alternativa para quem não quer gastar muito com o aluguel, é procurar quartos em repúblicas, o que é bastante comum na Alemanha. As "Wohngemeinschaft" (ou simplesmente "WG"), em geral têm administração própria, e a maioria delas exige apenas alguns meses de depósito para fechar o contrato. Quase todas têm um "conselho administrativo" que, quase sempre, marca uma entrevista com os interessados para avaliar qual candidato melhor se enquadra no perfil dos outros moradores. Mesmo nas cidades grandes, os preços do aluguel de quartos em repúblicas são consideravelmente mais baixos do que em outros casos.

 

Share on Facebook
Please reload

Please reload

Posts Recentes
Please reload

  • Yspanus Languages Facebook
  • Yspanus Languages Instagram
  • Yspanus Languages LinkedIn
Please reload